Quarta-feira, 27 de Maio de 2015 às 15h24


Catequese
Não há "matrimônio express", diz Papa ao falar sobre noivado




Noivado é etapa importante de conhecimento recíproco para preparar o
casal para o matrimônio, lembrou o Papa

Seguindo no ciclo de catequeses sobre família, o noivado foi o tema
da catequese do Papa Francisco nesta quarta-feira, 27. Segundo
Francisco, trata-se de um tempo de conhecimento recíproco e de
partilha para traçar, juntos, um caminho, já que não existe um
“matrimônio express”.

Em italiano, noivado se diz “fidanzamento”, o que está relacionado
com a palavra “fiducia”, que significa “confiança”. Logo, o Papa
explicou que se trata de uma confiança com a vocação dada por Deus,
porque o matrimônio é, antes de tudo, a descoberta de um chamado
divino.

“Certamente, é belo que hoje os jovens possam escolher se casar na
base de um amor recíproco. Mas justamente a liberdade da relação
requer uma consciente harmonia da decisão, não somente uma simples
compreensão da atração ou do sentimento, de um momento, de um tempo
breve… Requer um caminho”.

O noivado é, então, um tempo de conhecimento recíproco, deve
amadurecer assim como uma fruta, já que a aliança de amor entre homem
e mulher para toda a vida não se faz de um dia para o outro. “Não
existe o ‘matrimônio express’: é preciso trabalhar, caminhar. A
aliança aprende-se e se aperfeiçoa”.

O noivado amadurece até que se torne matrimônio, explicou o Papa,
lembrando, inclusive, a importância do curso de preparação que é
oferecido antes do casamento e que muitos casais acreditam ser
inútil. Depois, acabam reconhecendo e ficando agradecidos, pois
encontram ali a ocasião para refletir sobre essa experiência.

A importância da Bíblia não passou despercebida. Francisco lembrou
que nela o casal pode redescobrir momentos fundamentais para um
católico, como a oração e os sacramentos, para preparar o matrimônio
de maneira cristã, e não mundana.

Francisco pediu aos jovens que não pulem nenhuma dessas etapas de
amadurecimento. “O período do noivado pode se tornar realmente um
tempo de iniciação à surpresa dos dons espirituais com os quais o
Senhor, através da Igreja, enriquece o horizonte da nova família que
se dispõe a viver na sua bênção.”

Na conclusão da catequese, o Papa pediu que se rezasse uma Ave-Maria
por todos os noivos, a fim de que possam entender a beleza desse
caminho rumo ao matrimônio.


Fonte: Da Redação Canção
com informações do Vaticano
Segunda-feira, 25 de Maio de 2015 às 16h43


Entenda
Como Maria pode ouvir nossas orações?


Será que a Virgem Maria e os santos são como Deus, por isso ouvem nossas orações?

Algumas pessoas se perguntam como a Virgem Maria e também os santos podem ouvir as nossas orações e a de tantas pessoas, ao mesmo tempo e no mundo todo, e atender a todos simultaneamente. Será que eles são como Deus, onipotentes ou oniscientes?

Como Maria pode ouvir as nossas orações

Não. Nada disso! Nossa Senhora não tem esses atributos divinos, mas ela e os santos estão em comunhão com Deus; então, participam desses dons divinos, mesmo sem os ter naturalmente. Participam deles pela graça. Como assim? É por meio de Jesus, com quem estão em comunhão plena, que eles ficam sabendo de nossos pedidos, pois para o Senhor nada é impossível.

Outra coisa importante é saber que, na eternidade, não há mais o tempo como na vida terrena. Na eternidade, ele não existe. É por isso que o teólogo Karl Ranner disse: “Deus é um instante que não passa”. Para Ele não há passado, presente nem futuro como para nós; para Ele tudo é só presente. O tempo faz existir o passado e o futuro, mas quando ele não existe, há só presente.

Isso significa que, em Deus, Nossa Senhora e os santos não precisam de tempo para atender muitas pessoas que lhes pedem ajuda. Na Terra, se você quiser atender, por exemplo, dez pessoas, com dez minutos para cada uma, vai precisar de cem minutos, mas, na eternidade, isso não é necessário, porque não existe o tempo. Todos são atendidos no mesmo instante, algo que equivale a gastar, na Terra, os cem minutos.

Mesmo na Terra o tempo é relativo. Albert Einstein, Prêmio Nobel de Física, mostrou, com a “Teoria da Relatividade”, que o tempo de duração de um fenômeno e também o espaço que ele ocupa dependem da velocidade do objeto observado. Por exemplo: uma régua de 20 cm, parada, se for medida com uma velocidade próxima à da luz (0,99 da velocidade da luz) terá seu tamanho apenas de 18,9 cm, ou seja, ocupará menos espaço. Einstein mostrou também, no “paradoxo dos gêmeos”, que se dois irmão gêmeos partirem para uma viagem ao redor da Terra, um com velocidade normal, e outro com velocidade próxima a da luz (0.99 c), quando ambos voltarem, o gêmeo que viajou com velocidade próxima à da luz, chegará com menos idade que seu irmão; isto é, mais novo.

Ora, se o tempo é algo relativo, já nesta vida, na outra será completamente diferente da nossa realidade. Isso explica um pouco como os santos e a Virgem Maria podem atender os pedidos de todos, sem a dificuldade do tempo e do espaço, e sem precisar ter os atributos de Deus. Quem lá chegar verá.




Por: Felipe Aquino
Professor Felipe Aquino é viuvo, pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.


Domingo, 24 de Maio de 2015 às 23h59
 
 
 Solenidade de Pentecostes

A Paróquia Santa Ana celebrou neste domingo, 24 de maio de 2015 às 18h00 em frente a Igreja Menino Jesus de Praga (Comunidade Menino Jesus de Praga, a missa solene de Pentecostes




 Procissão de entrada
 




 Todas as comunidades da Paróquia vieram em caminhada até a comunidade  Menino Jesus de Praga, para juntas celebrarem o dia de Pentecostes.









 
 A Celebração foi presidida por Pe. Domingos 
(Paróquia Santa Cruz - Cidade de São Gonçalo - PI


 Equipe de animação

Equipe de Liturgia





 
 
 Realização
Paróquia Santa Ana
Diocese de Parnaíba - PI
 
 
 
 
Fotos: Jesse James 
 
 
 
Domingo, 24 e Maio de 2015 às 23h30


Solenidade de Pentecoste

 A Paróquia Sagrado Coração de Jesus celebrou neste domingo, 24 de maio de 2015 às 18h00 na Igreja de Santa Marta (Comunidade Santa Marta),  a missa solene de Pentecoste

 A celebração foi presidida por Pe. Siqueira (Pároco)


 Todas as comunidades da paróquia vieram em caminhada até a comunidade Santa Marta, para juntas celebrarem o dia de Pentecostes.















Realização
Paróquia Sagrado Coração de Jesus
Diocese de Parnaíba - PI
 
 
 
 
           Fotos: Henrique Santos
       Blog Divulgando o Evangelho
Domingo, de Maio de  2015 às 09h36

Regina Coeli

Papa: Pentecostes inicia era do testemunho e da fraternidade


Segundo o Papa, Pentecostes é marcado pelo testemunho, a fraternidade e o início de uma Igreja missionária e universal

“O Espírito Santo derramado no Pentecostes, no coração dos discípulos, é o início de uma nova era: a era do testemunho e da fraternidade”. Foi o que afirmou o Papa Francisco neste domingo, 24, Solenidade de Pentecostes, durante a oração do Regina Coeli.

O pontífice destacou que a festa de Pentecostes faz reviver o início da Igreja, narrado pelo livro dos Atos dos Apóstolos. Naquela ocasião, disse o Papa, os discípulos foram completamente  transformados por essa efusão e o medo cedeu o lugar para a coragem, o fechamento para o anúncio e toda dúvida foi expulsa pela fé, cheia de amor. “É o batismo da Igreja que começa assim o seu caminho na história, guiada pela força do Espírito Santo”, disse.

Francisco recordou como este acontecimento mudou a vida dos apóstolos, abrindo as portas do Cenáculo e levando-os ao anúncio de Cristo Ressuscitado, bem como à experiência da universalidade da Igreja.

“Cada um dos presentes ouve os discípulos falar em sua própria língua. O dom do Espírito restabelece a harmonia das línguas que tinha sido perdida em Babel e prefigura a dimensão universal da missão dos Apóstolos. A Igreja nasce universal, una e católica, com uma identidade precisa, mas aberta, que abraça o mundo inteiro, sem excluir ninguém”, frisou o Santo Padre.

O livro dos Atos dos Apóstolos também relata que, sobre os discípulos desceram chamas de fogo. O Papa explicou que eram as chamas do amor que queimam toda amargura; era a língua do Evangelho que atravessa os confins impostos pelos homens e toca os corações da multidão, sem distinção de língua, raça ou nacionalidade.

“Com o dia de Pentecostes, o Espírito Santo é derramado continuamente também hoje sobre a Igreja e sobre cada um de nós para sairmos de nossa mediocridade e de nossos fechamentos e comunicar ao mundo o amor misericordioso do Senhor. Esta é a nossa missão! Também nos foi dado como dom a língua do Evangelho e o fogo do Espírito Santo para proclamarmos Jesus ressuscitado, vivo e presente em nosso meio, aproximando os povos a Ele que é caminho, verdade e vida”, sublinhou ainda Francisco.

“Confiemo-nos à materna intercessão de Maria, que estava presente como Mãe em meio aos discípulos no Cenáculo, para que o Espírito Santo desça abundantemente sobre a Igreja de nosso tempo, encha os corações de todos os fiéis e acenda neles o fogo de seu amor”, concluiu.

Beatificações e a situação dos deslocados

Após a oração do Regina Coeli, o Papa disse que acompanha com preocupação a situação dos numerosos deslocados no Golfo de Bengala e no Mar de Andaman.

“Exprimo o meu apreço pelos esforços realizados pelos países que acolheram essas pessoas que estão passando por grandes sofrimentos e perigos. Encorajo a comunidade internacional a prestar-lhes a assistência humanitária necessária.”

O Santo Padre recordou que no sábado, 23, foram beatificados Dom Oscar Romero, em El Salvador, e Irmã Irene Stefani, no Quênia. O arcebispo de San Salvador foi assassinado por ódio à fé enquanto celebrava a Eucaristia.

“Este pastor zeloso, seguindo o exemplo de Jesus, escolheu estar no meio de seu povo, especialmente dos pobres e oprimidos, pagando com a sua vida. A religiosa irmã Irene, italiana das Missionárias da Consolata, serviu o povo queniano com alegria, misericórdia e terna compaixão. Que o exemplo heroico desses Beatos suscite em cada um de nós o desejo ardente de testemunhar o Evangelho com coragem e abnegação.”

Francisco pediu aos peregrinos para rezarem por ele e concedeu a todos sua bênção apostólica





Fonte: Da redação Canção Nova
com Rádio Vaticano



Domingo, 24 de Maio de 2015 às 08h48


Solenidade de Pentecostes



A Paróquia Sagrado Coração de Jesus convida os seus paroquianos para Celebração Solene de Pentecoste que será celebrada neste domingo, 24 de maio de 2015 às 17h00 na Igreja Santa Marta (Comunidade Santa Marta)

Venha e traga a sua Família!

Realização
Paróquia Sagrado Coração de Jesus
Diocese de Parnaíba - PI


Domingo, 24 de Maio de 2015 às 00h22


Vigília de Pentecostes
 
 
 A Paróquia Sagrado Coração de Jesus realizou neste sábado, 23 de maio de 2015 às 19h00 na Igreja de Santo Expedito a vigília de Adoração em preparação a Solenidade de Pentecostes que a Paróquia realizará neste domingo, 24 de maio na Igreja de Santa Marta (Comunidade de Santa Marta).
A Vigília foi conduzida pelas comunidades e pastorais da Paróquia, começando às 19h00 coma a exposição do Santíssimo conduzida por Pe. Siqueira (Pároco), o momento de muita Fé e devoção de todos os fiéis presente nesta Vigília em preparação para a festa solene de Pentecostes
Pe. Siqueira (Pároco)
















 
 
 Realização
Paróquia Sagrado Coração de Jesus
Diocese de Parnaíba - PI
 
 
 
 
 

         Fotos e Texto:
 
     Henrique Santos
Blog Divulgando o Evangelho